Parecer sobre a prova de Português de 12.º ano: Prova 639, 2 de setembro de 2020

Publicado por a 04/09/2020 em Agenda, Pareceres, Pareceres sobre exames | Comentários desligados

Parecer sobre a prova de Português de 12.º ano

Prova 639, 2 de setembro de 2020 (2.ª Fase)

O Exame Nacional de Português, com o código 639, 2.ª Fase, do ano letivo 2019-2020, é constituído por três grupos, avaliando quatro domínios: Educação Literária (Grupo I), Leitura e Gramática (Grupo II) e Escrita (Grupo III). Tal como se refere na primeira página do exame, “A prova inclui 5 itens […] cujas respostas contribuem obrigatoriamente para a classificação final (itens II ‒ 1., II ‒ 2., II ‒ 3., II ‒ 4. e III). Dos restantes 10 itens da prova, apenas contribuem para a classificação final os 8 itens cujas respostas obtenham melhor pontuação.”

Esta prova está bem estruturada, cumpre os objetivos dos documentos de referência para o nível de ensino a que se destina, bem como as orientações divulgadas pelo IAVE relativas aos exames, e apresenta características semelhantes à prova da 1.ª Fase.

O Grupo I subdivide-se em três partes. Na Parte A, são apresentadas questões que exigem que os alunos relacionem características de duas obras de José Saramago (O Ano da Morte de Ricardo Reis Memorial do Convento); são questões exigentes do ponto de vista da interpretação, implicando leitura inferencial. As duas questões privilegiam a interpretação dos dois excertos apresentados (um de cada romance), implicando a análise comparativa dos mesmos com o estabelecimento de analogias e contrastes entre as duas obras. Este tipo de análise encontra fundamentação nos documentos de referência, de acordo com os quais se dá destaque à importância da leitura crítica como competência leitora primordial, sendo as competências leitoras necessárias à abordagem de qualquer texto, literário e não literário. As questões relacionadas com os excertos presentes na prova possibilitam respostas fundamentadas, não implicando a leitura prévia, em sala de aula, de ambos os romances. Não está, pois,  em causa a pertinência das questões, mas o facto de os alunos não estarem habituados a esta tipologia de questões em provas de exame.

As partes B e C incidem, expectavelmente, na compreensão de um texto literário (uma cantiga de amigo) e na produção de uma breve exposição” sobre o tema da representação da amada na lírica camoniana; em relação a este último grupo considera-se que poderia ser benéfico indicar o limite mínimo e máximo de palavras a utilizar na “breve” exposição.

Mais uma vez, consideramos positiva a opção pelo pedido de apreciação crítica no Grupo III, tal como aconteceu na prova da 1.ª Fase. A mudança de género de texto a produzir neste grupo da prova para avaliação de resposta extensa vai ao encontro das orientações curriculares para este ciclo de ensino, que preveem que diferentes géneros textuais sejam objeto específico de trabalho ao longo dos três anos do ensino secundário.

Consultar a prova (versão 1) aqui.

Aceder aqui aos critérios gerais de classificação.

A direção da APP

Lisboa, 4 de setembro de 2020