Parecer sobre a prova de aferição de Português 55 – 5.º ano, 8/6/2018

Publicado por a 11/06/2018 em Pareceres, Pareceres sobre exames | Comentários desligados

PARECER SOBRE A PROVA DE AFERIÇÃO DE PORTUGUÊS DO 5.º ANO DO ENSINO BÁSICO

Português/Prova 55/8 de junho de 2018

[ Prova] [Áudio] [Critérios de classificação]

 

A prova de aferição de Português de 5.º ano adequa-se ao nível de desempenhos esperados da generalidade dos alunos. É uma prova muito equilibrada, mantém a estrutura tradicional, integrando a parte A, de avaliação da compreensão do oral, e introduz algumas novidades no tipo de exercícios propostos. São exemplificativos dessa novidade, a que já se deu início em provas de anos anteriores, itens para elaboração de esquemas relacionais de informação, como é o caso do item 8, na secção Leitura e Educação Literária, apelando à capacidade de construir e organizar mapas de ideias, e itens para sistematização da aprendizagem, como é o caso dos itens 17 e 18, cujas respostas implicam conhecimento sistematizado sobre os grupos da frase e respetivas funções sintáticas. Contudo, estas são questões que colocam maiores dificuldades a alunos com níveis mais elementares de desempenho linguístico ou que estejam pouco familiarizados com este tipo de exercício.

Os itens da prova têm em conta conteúdos programáticos referenciados ao Programa de Português do 5.º ano de escolaridade, incidem sobre os diferentes domínios e competências da disciplina, à exceção da expressão oral, e consideram a flexibilidade curricular, tendo em conta áreas de competência definidas no perfil do aluno. É relevante, a este propósito, a escolha dos textos informativos para avaliação da compreensão do oral e da leitura, convidando,  por um lado, a uma articulação com outras disciplinas do currículo, nomeadamente de vertente científica, por outro, implicando o domínio de práticas textuais por parte do aluno,   essenciais à sua vida de jovem, enquanto cidadão, capaz de estar atento e desenvolver a curiosidade, em relação a questões sobre, por exemplo,  os comportamentos e as intenções das pessoas nas suas relações do dia a dia,  a expressão de emoções ou o funcionamento do cérebro.

Alguns itens da prova poderão suscitar maior dificuldade a alunos com desempenhos evidenciando menor grau de proficiência na compreensão inferencial da leitura, associada à  produção de texto explicativo, como é o caso, por exemplo, dos itens 6 e 14.

Tratando-se de uma prova de aferição, que funciona como instrumento de regulação de aprendizagens, é de assinalar que os resultados obtidos nas questões que introduzem novidade no tipo de exercício proposto, atenção a géneros textuais pouco trabalhados ou incidência na compreensão inferencial poderão indiciar a necessidade de se desenvolver com os alunos um trabalho mais focalizado em determinadas aprendizagens. Nesse sentido, esta prova cumpre a função de fornecer pistas de trabalho e dados para análise aos professores, na perspetiva de uma melhoria dos desempenhos dos alunos em aspetos específicos do português, que podem ser observados com este tipo de instrumento de avaliação.

Direção da APP, 11 de junho de 2018